domingo, 16 de dezembro de 2012

Capoeira trabalha reabilitação e inclusão de crianças com deficiência

O grupo abriu a roda em uma apresentação especial no espaço turístico da Ponte Estaiada.

  Maria Eduarda Costa Magalhães comemorava o aniversário de quatro anos quando sofreu um Acidente Vascular Cerebral, em 2009, e perdeu parte dos movimentos do lado esquerdo do corpo. A partir de então, a pequena passou por uma série de tratamentos na tentativa de melhorar aquilo que foi perdido. Nesse período, encontrou na capoeira um grande aliado para a reabilitação.

                       
 
  Crianças como Maria Eduarda buscam inspiração no esporte para driblar limitações e lutar pela reintegração à sociedade. Elas possuem diferentes tipos de deficiência física e recebem no Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) incentivo para a socialização através da capoeira, o que, para esses pacientes, significa um complemento ao tratamento realizado no Centro. Nesse sábado (15), o grupo de capoeira do Ceir abriu a roda em uma apresentação especial no espaço turístico da Ponte Estaiada Mestre João Isidoro França.
 
  O objetivo foi chamar a atenção das pessoas para a importância da reabilitação e da inclusão social, a exemplo do farmacêutico Sylvio Romano, que realizava caminhada na Avenida Raul Lopes, quando se deparou com o gingado em uma roda diferente. “Essa ação tem um grande mérito. Eles mostram um trabalho de responsabilidade social que usa o esporte para a inclusão”, diz Sylvio Romano.
 
  Durante a apresentação, a ponte recebeu iluminação verde em homenagem aos pacientes, familiares, colaboradores, voluntários, amigos e defensores da causa da reabilitação e da inclusão social das pessoas com deficiência física e/ou motora do Ceir.

                         
 
  O coordenador do setor de reabilitação desportiva do Centro, Childerico Robson, explica que a parceria entre instituição e família é essencial para a obtenção de resultados positivos. “A importância dos pais na capoeira é inestimável. São eles que determinam a freqüência dos filhos, o envolvimento e, consequentemente, o sucesso do trabalho”, destaca o educador físico, enfatizando que seu papel é tão somente fomentar o aprendizado para proporcionar a melhoria dos pacientes. “Eu só ajudo a fazer transbordar a força que existe dentro deles. Força usada para a superação de barreiras”, revela.
 
  Um trabalho que envolve sensibilidade e afetividade. Através da terapia, crianças com deficiência física usam o esporte para superar limites. No ritmo do berimbau, pacientes desenvolvem o equilíbrio e a coordenação. Mas um dos principais elementos ajustados com a atividade é a motivação. Maria Eduarda é uma dessas que não esconde a empolgação e, quando interrogada sobre o esporte, a paciente do Ceir expõe: “Eu amo a capoeira!”.
 

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Crianças com deficiências usam capoeira para superar limites



14/12/2012 por Mayara Ferreira
  Não existe restrição para a prática do esporte. Crianças com idades, diagnósticos e necessidades diferentes encontram no ritmo do berimbau motivações para superar limites. O Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) trabalha coordenação, equilíbrio e socialização de pacientes através da capoeira. Neste sábado (15), o Ceir chamará a atenção da sociedade para a importância da reabilitação e da inclusão social por meio do esporte com uma apresentação especial do grupo de capoeira na Ponte Estaiada Mestre João Isidoro França, na Avenida Raul Lopes.
  A roda será aberta às 18 horas sob a iluminação verde da ponte. A cor será em homenagem aos pacientes, colaboradores, voluntários, amigos e defensores da reabilitação e da inclusão social das pessoas com deficiência física e/ou motora do Ceir.
  O pequeno Marcelo Cardoso, de cinco anos, participará da roda e mostrará que a capoeira ajuda a superar dificuldades. De acordo com a mãe de Marcelo, Rosa Lima, o esporte tem sido um bom aliado no tratamento feito na instituição. “Meu filho já se desenvolveu muito e eu sei que foi a capoeira que o ajudou a superar as dificuldades de se levantar, se manter de pé e correr. Para mim, é uma das melhores terapias do Centro”, observa.
  Além de ajudar no tratamento, o objetivo da reabilitação com a capoeira é quebrar preconceitos. O coordenador do setor de reabilitação desportiva, Childerico Robson, afirma que a sociedade deve aprender com as crianças a aceitar as diferenças. “As diferenças devem servir para aproximar, ao invés de separar as pessoas. A capoeira trabalha como ferramenta de inclusão social e arma de cidadania e reabilitação”, frisa Childerico Robson.
  Há mais de dois anos, o paciente Liédson Matheus da Silva, participa da roda de capoeira do Ceir e não esconde a empolgação. A mãe, Maria Nirinalda da Silva, conta que o esporte ajuda também na socialização. “Depois que começou a fazer capoeira, Matheus já consegue dar uns passinhos e, quando ele vê as outras crianças, ele se solta”, finaliza Maria.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Grupo de Capoeira do CEIR lança música (Ladainha) em evento

  O IV Batizado e Troca de Cordas dos Pacientes do CEIR, foi marcado por muitas surpresas, além de realizarem a "Puxada de Rede", foi também lançada uma música de capoeira, Ladainha (CAPOEIRA EFICIENTE), de autoria do paciente da instituição John Alves e cantada e adaptada pelo professor Childerico Robson. 
  Segue a Letra da música:

CAPOEIRA EFICIENTE
  
Berimbau já tá chamando
Vem de pressa venha ver
Capoeira eficiente
Essa que vamos fazer

Essa roda é diferente
De longe dá pra se ver
Mas ela é feita de gente
Feito eu,feito você

Dou armada, dou rasteira
Preste muita atenção
Canto alto,bato palmas
Respondo o coro meu irmão

Capoeira eficiente
É arte, é diversão
É gingar com o sentimento
É jogar com o coração.




segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Ceir abre roda de capoeira e realiza batizado de pacientes da reabilitação desportiva

03/12/2012 por Mayara Ferreira

 
  Ao som do berimbau, o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) abriu uma roda de capoeira na manhã desta sexta-feira (30). Pacientes da reabilitação desportiva participaram do IV Batizado e Troca de Cordas do Ceir. Como prêmio, baseado no desempenho de cada um no esporte, 16 pacientes foram batizados e outros 12 trocaram de cordas, simbolizando o aumento da graduação.
 
  Na oportunidade foi realizado por nossos pacientes uma das manifestações folclóricas incorporadas a capoeira chamada: Puxada de Rede, que conta a história de um pescador que ao sair para o mar em plena noite para fazer o sustento da familia, despede-se de sua mulher que, em mau pressentimento, preocupa-se com a partida do marido e o assusta dizendo dos perigos de sair á noite, mas o pescador sai e deixa-a a chorar, e os filhos assustados. Também foi lançada uma Ladinha chamada: Capoeira Eficiente de autoria do paciente Jonh Alves e adaptada e cantada pelo Profº Childerico Robson
 
  José Lucas, de cinco anos, foi uma das crianças batizadas. A mãe de José, Beatriz Cardoso, comemora os avanços conquistados desde que passou a participar das aulas de capoeira no Centro. “Ele, que nasceu com paralisia cerebral, hoje tem um equilíbrio enorme por causa da capoeira”, destaca.
 
  Para a mãe da pequena capoeirista Nayara Beatriz, Anikele Santos, o mais importante do esporte é a socialização da criança. “Cada paciente apresenta diferentes limitações. Ainda assim, todos eles são bem integrados uns com os outros. Desde que começou a participar das aulas, há um ano, minha filha perdeu a timidez e se tornou mais comunicativa”, conta Anikele.
 
  A atividade desta sexta contou com grande participação dos pais das crianças. A mãe de Gabriel Ferreira, Eliane Ferreira, fala da importância da capoeira para o desenvolvimento do filho. “Gabriel caia muito, mas, com os treinamentos, já consegue se levantar sem dificuldade e consegue até correr”, diz.
 
  De acordo com o coordenador de reabilitação desportiva do Ceir, Childerico Robson, o apoio e envolvimento dos pais são essenciais para a reabilitação dos pacientes. “A capoeira auxilia as pessoas a quebrarem barreiras impostas pela sociedade. Esse trabalho vai proporcionar grandes contribuições para a formação dessas crianças”, frisa.
 
  Dando continuidade ao evento, neste sábado (1), será realizada a formatura do Mestre Pebança do grupo IÊ Berimbau, no ginásio Edmilson Jorge, no bairro Dirceu Arcoverde. As atividades do IV Batizado e Troca de Cordas dos Pacientes do Ceir são integradas ao grupo de capoeiristas IÊ Berimbau, que trabalha com a reinserção social de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade da zona Sudeste de Teresina.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Ao Vivo IV Batizado e Troca de Cordas dos Pacientes do CEIR

  Hoje (30/11) a partir das 10:20hs horário local (11:20hs horário de Brasilia),será trasmitido ao vivo o IV Batizado e Troca de Cordas dos Pacientes do CEIR.
Para assistir acessem o link:
http://twitcasting.tv/profchilderico

Abraço
Att
Prof Childerico Robson

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

IV Batizado e Troca de Cordas dos Pacientes do CEIR

  Será realizado no próximo dia 30/11/12 no ginásio do CEIR a partir das 10:20hs, o IV Batizado e Troca de Cordas dos Pacientes do CEIR, evento este que será o marco inicial da formatura do Mestre Pebança do grupo IÊ Berimbau, que acontecerá no dia 01/12/12 no ginásio Edmilson Jorge no grande Dirceu.   
  Na oportunidade serão batizados 16 pacientes além de 12 trocas de cordas. São esperadas as presenças de vários Mestres, além de Contra-Mestres e Professores dos mais diversos grupos de capoeira do Estado, bem como de outros que virão para a formatura do Mestre Pebança.
  "Apesar de existirem vários grupos de capoeira no estado, fazemos questão de pontuar que nosso trabalho visa uma contribuição para o engrandecimento do esporte, independente do grupo na qual estes capoeiristas estão inseridos", segundo o professor do projeto Childerico Robson (formado do grupo IÊ Berimbau), que acrescentou ainda que, será um grande evento e muitas surpresas acorrerão no decorrer do mesmo.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Atletas e Técnico do CEIR recebem certificados do Governador

Ana Kássia, Childerico Robson e Marcelo Santana
 
  Na manha de hoje (27/11) os atletas Marcelo Santana e Ana Kássia, ambos nadadores do CEIR, receberão das mãos do governador Wilson Martins seus certificados de honra ao mérito  pela excelente participação nas Paralímpiadas Escolares deste ano em São Paulo.
  Parabéns aos atletas e a equipe de Reabilitação Desportiva do CEIR, (Gabriella Luz, Lanna Carvalho, Slânia Bastos e Childerico Robson), sem vocês nada disso seria possível.
 

Governador presta homenagem aos atletas paralímpicos do Piauí

Foto:

Atletas recebem homenagem do governador
 

 
O Governador do Estado do Piauí, Wilson Martins, realizou a entrega solene de certificados de honra ao mérito para 62 atletas paralímpicos que representaram o Piauí em competições regionais, nacionais e internacionais. A cerimônia de homenagem foi realizada no final da manhã desta terça-feira (27), no Palácio de Karnak e contou com a presença de atletas, familiares, treinadores e autoridades.

José Matos Filho, atleta da equipe de basquete da Associação de Cadeirantes do Município de Teresina (ASCAMTE) e da seleção brasileira de basquete em cadeira de rodas, agradeceu o apoio recebido pelo governo do estado e se emocionou. “Me emocionei por conta da preocupação e do trabalho que o governador teve com a gente. Ele nos deu as cadeiras de rodas, que melhoraram o nosso rendimento no clube, nos deu a passagem para nós participarmos do campeonato da segunda divisão em Santa Catarina. E também me lembrei dos nossos professores e dos nossos colegas de treino, que estão sempre nos apoiando, sempre nos incentivando”, destacou.

O secretário estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Hélder Jacobina, ressaltou a sensibilidade do governador Wilson Martins e de toda a sua equipe para a causa das pessoas com deficiência. “A certeza de que o trabalho está dando certo nós vemos aqui hoje, com nossos atletas de diversas modalidades e categorias com suas medalhas no peito, orgulhando o nosso estado”, afirmou. Hélder também parabenizou os treinadores pelo trabalho essencial desenvolvido no treinamento junto aos atletas.

Para o governador Wilson Martins todos os que foram homenageados nesta terça-feira são campeões, cada um tem uma história de superação, de batalhas e de persistência. “Todos vocês estão de parabéns pelos resultados obtidos nestas competições e vamos continuar apoiando o esporte paralímpico do Piauí. Gostaria de parabenizar também o secretário Hélder Jacobina, pelo seu trabalho junto à SEID, que sempre tem mostrado grandes resultados”, ressaltou.

Outro atleta homenageado foi John Alves da Silva, do Tiro Esportivo, que no último domingo (25) sagrou-se campeão brasileiro pela Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE), no Rio de Janeiro. “O resultado final do campeonato foi a média de todas as etapas realizadas ao longo do ano. A modalidade que eu participei dessa etapa é a carabina mira aberta de ar e o resultado é obtido tirando-se a média das quatro melhores notas que o atleta obteve durante o ano, somado à nota da última competição, no Rio de Janeiro”, conta.

A mãe de John Silva, dona Antônio Ferreira dos Santos, estava muito emocionada e contou que tem percebido que as pessoas com deficiência tem tido grandes incentivos nos últimos anos. “Antigamente a gente não via isso, estou muito feliz com tudo isso e muito orgulhosa do meu filho. Hoje a gente tem força pra isso tudo, pra ajudar tanta gente que esteve aqui hoje sendo homenageada. Esse monte de gente recebendo homenagem foi a coisa mais linda, antes não tinha isso”, relata.
 

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Time do Ceir conquista o quarto lugar no Brasil Open de Futebol para Amputados

05/11/2012 por Mayara Ferreira
 

 
Uma equipe de atletas do Centro de Reabilitação Integrada (Ceir) foi a Natal-RN, no último final de semana, para participar da 1º edição do Brasil Open de Futebol Para Amputados. Entre os dias 2 e 4 de novembro, quatro equipes participaram do torneio, sendo duas de São Paulo, uma do Rio Grande do Norte e uma do Piauí. Os atletas do Ceir conquistaram o quarto lugar na competição.
 
Oito jogos foram disputados nos campos do Clube dos Empregados da Petrobras (Cepe) e do Aero Football Center. As duas equipes de São Paulo conseguiram o primeiro e segundo lugares do campeonato. Já o terceiro lugar, ficou com o time do Rio Grande do Norte.
 
Segundo o supervisor de reabilitação desportiva do Ceir, Childerico Robson, independente da classificação, a equipe de piauienses teve êxito no campeonato. “Costumeiramente, treinávamos uma vez por semana, mas para participarmos da competição, os treinos foram intensificados”, conta o supervisor de reabilitação desportiva.
 
Para Childerico Robson, a importância do esporte na inclusão dos portadores de deficiência física na sociedade reforça a auto-estima dos atletas. “O esporte trabalha força, equilíbrio, coordenação motora e condicionamento físico. Acredito que o mais importante no esporte paralímpico é a superação e a inclusão dos atletas”, destaca.
 
O 1º Brasil Open de Futebol Para Amputados foi disputado em gramados de 60m x 35m, medida oficial do futebol de 7. Todos jogaram contra todos e, depois, as equipes que tiveram mais pontos participaram da final. Ao término do torneio foi realizada uma partida com atletas dos quatro times e um churrasco de confraternização.
 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Deputada pede voto de louvor aos para-atletas escolares

Piauienses conquistaram 8 medalhas nas Paralimpíadas Escolares, em São Paulo.

A deputada estadual Rejane Dias (PT) propôs nesta terça-feira (23) voto de louvor aos para-atletas piauienses que disputaram as Paralimpíadas Escolares 2012, em São Paulo. Foram oito medalhas conquistadas na semana passada, sendo duas de ouro, duas de prata e quatro de bronze.

                Marcelo Brandt/CPB

O Piauí somou conquistas no atletismo, natação e tênis de mesa. A maior parte da delegação é composta por jovens assistidos pelo Centro Integrado de Reabilitação - CEIR.

“Por isto, eventos como estes sempre serão bem vindos e esperamos contar a cada ano com mais atletas, cada vez mais preparados para as disputas. Hoje, milhares de brasileiros com deficiência não ficam mais parados em casa. Muitas destas pessoas são exemplo de disposição e saúde devido a prática constante de exercício físico. E por isto é importante a realização das paralimpíadas como forma de motivar estas pessoas a continuarem praticando esporte”, disse a parlamentar.

Rejane Dias é autora do projeto que torna permanente a realização das Paralímpíadas do Piauí, ocorridas em 2011, mas ainda não realizadas em 2012.

               Seduc

Fábio Lima
 
 

Autoridades recebem paratletas medalhistas das Paralimpíadas Escolares 2012

Atletas paiuienses ganharam oito medalhas na maior competição Paralímpica Escolar do Mundo

Por Juarez Oliveira
Paratletas medalhistas visitam Fundespi (Foto:Juarez Oliveira)

O secretário Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid), Helder Jacobina, e o presidente da Fundação Estadual de Esportes (Fundespi), Marco Aurélio Sampaio, estiveram reunidos, na manhã desta quarta-feira (24), com quatro dos cinco paratletas piauienses que conquistaram medalhas nas Paralimpíadas Escolares 2012, realizadas em São Paulo, entre os dias 17 e 19 de outubro.
O Piauí levou oito atletas para a competição e cinco deles conquistaram oito medalhas, sendo duas de ouro, duas de prata e quatro de bronze. A participação dos paratletas nessa competição foi possível graças ao empenho do Governo do Estado do Piauí, por meio da Fundespi, Seid e Secretaria da Educação (Seduc). Para o secretário Helder Jacobina, os resultados obtidos pelos atletas demonstram o compromisso do Governo do Estado com as pessoas com deficiência e com o paradesporto piauiense.
“Temos um projeto em parceria com a Fundespi para a construção de uma Vila Olímpica, que vai atender às demandas por espaços para a prática esportiva em Teresina. O Governo do Estado vai inaugurar em breve a Nova Potycabana, que será mais um espaço destinado para a prática desportiva e todo adaptado para as pessoas com deficiência”, frisou o secretário Helder Jacobina.
O técnico Childerico Robson, do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), destacou os ótimos resultados obtidos em São Paulo como um alerta para a possibilidade de o Piauí ter representantes na Paralimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. “É perfeitamente possível que tenhamos atletas do Piauí em 2016. No Ceir, temos a pretensão de ter no mínimo um atleta participando das Paralimpíadas de 2016 e já estamos trabalhando para isso”, ressalta o treinador.
Atletas demonstram força de vontade e superação
A jovem Ana Kássia foi atropelada por um carro quando tinha apenas seis anos de idade, como resultado do acidente, sua perna direita teve que ser amputada. Aos 11 anos ela iniciou o tratamento de fisioterapia no Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), e hoje aos 14 anos coleciona medalhas em competições nacionais. “O Ceir é muito importante para mim, pois foi onde eu fui descoberta e é onde eu busco o melhor para mim”, afirma. A jovem, que treinava apenas duas vezes por semana, aumentou a rotina de treinos para participar das competições, passando a treinar todos os dias.
Para Jaelton Alcides, de 18 anos, a vida de competições teve início apenas em 2011, quando o técnico Antônio Nilson o descobriu durante as Olimpíadas Estaduais da Apae. Nas Paralimpíadas Escolares 2012, Jaelton, que tem deficiência intelectual, ganhou a medalha de bronze nos 400 metros rasos e foi o 4º colocado na prova dos 100 metros rasos. “Eu treino em Timon, no Maranhão, com o treinador Nilson e na próxima semana vou participar das Olimpíadas Nacionais da Apae”, conta.
Outro medalhista piauiense em São Paulo foi Alberto Maia Filho, que teve o antebraço direito amputado após um acidente de ônibus, em 2009. Atualmente com 17 anos, Alberto ganhou o bronze na prova do tênis de mesa e afirma que vai continuar treinando duro para buscar melhores resultados. “Eu já jogava tênis de mesa, mas somente este ano comecei a treinar. Essa medalha me deu um incentivo a mais para continuar com a rotina de treinos na Federação Piauiense de Tênis de Mesa”.
Mas o grande nome do Piauí nas Paralimpíadas Escolares 2012 foi Marcelo Santana, que subiu ao pódio em três oportunidades. Com medalha de ouro nos 50 metros nado borboleta, prata nos 50 metros costa e bronze nos 50 metros livre, Marcelo mostra que superou o acidente que sofreu em 1º de setembro de 2011, quando teve sua perna amputada após ser atropelado pelo Metrô. “Quando eu comecei o tratamento no Ceir as meninas de lá me colocaram para fazer natação, aí eu fui em frente”, destaca Marcelo, que antes do acidente já praticava natação, mas no rio Poty, próximo a sua casa. E muito confiante o adolescente afirma que no próximo ano vai trazer três medalhas de ouro para o Piauí.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Piauí se despede das Paralimpíadas Escolares com medalhas de ouro e prata



Marcelo Santana ganhou medalhas de ouro e prata na natação
 
  O dia do Piauí (19 de outubro) foi comemorado com medalhas de ouro nas Paralimpíadas Escolares. Os donos da façanha são Marcelo Santana e Diana Sousa, que entram para a história do paradesporto piauiense.

  Com o ouro nos 50 metros, nado borboleta, Marcelo Santana fechou a segunda participação de atletas paralímpicos estudantis nesta competição que somaram 8 medalhas (2 ouros, 2 pratas, 4 bronzes). Na mesma tarde, além de Marcelo e Diana, Ana Kássia foi prata nos 50 metros borboleta.


  O resultado, muito superior ao ano passado, mostra não só a evolução do esporte paralímpico no Piauí, mas o compromisso dos técnicos, governantes e principalmente dos jovens e de suas famílias que acreditam no poder da recuperação física ou intelectual e injeção de auto-estima que o esporte promove.

Medalhas do Piauí na Natação
Marcelo Santana: ouro 50m Borboleta, prata 50m Costas e bronze 50m Livre (S10 cat. A)
Ana Kássia : prata 50m Borboleta, bronze 50m Costas (S9 cat. A)
Diana Sousa : ouro 50m Livre (S14 cat. A)

  Nosso estado ainda obteve mais duas medalhas de bronze sendo no Atletismo (Jaelton Alcides) e no Tênis de Mesa (Alberto Filho).

  Parabens a toda delegação Piauiense !!!




sábado, 15 de setembro de 2012

Paratletas do Ceir participam da ParaCopa Sesc

14/09/2012 por Glenda Uchôa
   O time de basquete para cadeirantes e os atletas da natação do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) participarão, no sábado (15) e domingo (16), da primeira ParaCopa Sesc, no Sesc Ilhotas.
 
 
   No Ceir, as atividades desportivas são usadas para a reabilitação das pessoas com deficiência física, mas, quando o paciente tem destaque e interesse por atividades competitivas, ele é enquadrado em treinamentos e disputas, que acontecem em nível regional ou nacional.
   Esse é o caso da Ana Kássia, que aos 14 anos de idade já competiu em disputas nacionais e, inclusive, trouxe medalhas para o Piauí na natação.
   Para o time de basquete do Ceir, a participação em uma competição ainda é inédita. A modalidade existe no Centro desde sua fundação, há quatro anos, mas só iniciará em competições agora.
   “Nós estamos procurando mesclar a experiência de alguns paratletas com pessoas que ainda não competiram. Tudo isso serve para mostrar a potencialidade de cada paciente e, também, incentivar a prática do paradesporto”, explica o reabilitador físico Childerico Robson.
 
 

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Revista nacional de Educação Física destaca capoeira do Ceir

A edição de número 44º da Revista E.F, lançada trimestralmente através do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF), destaca a capoeira do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) na matéria ‘Reabilitação através do gingado’.



Leia mais:

Reabilitação através do gingado
Profissional do Piauí utiliza a capoeira como instrumento de reabilitação motora para pessoas com deficiência.


O som dos primeiros acordes do berimbau é o sinal para que 20 crianças, jovens e adultos, todos com algum tipo de deficiência física, comecem a gingar passos da capoeira no Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), em Teresina. É a roda de capoeira do setor de Reabilitação Desportiva, comandada pelo Profissional de Educação Física Childerico Robson (CREF 000476-G/PI).

Quando iniciou suas atividades, em 2008, a roda de capoeira contava com apenas três pacientes. “Não pedíamos nenhum tipo de movimento específico de capoeira. Eu só acreditava que precisava tomar uma atitude diferenciada em relação às expectativas dos pacientes. O que aconteceu foi a busca pela parte lúdica que a capoeira pode apresentar, nada de chutes característicos, ou movimentos mais bruscos. Eram as brincadeiras que apresentariam, nas entrelinhas, os movimentos e a possibilidade de diversão e bem-estar do nosso paciente, sem esquecer o objetivo principal: o aprendizado da capoeira”, relembra Childerico.

Logo a novidade se espalhou e os outros terapeutas do Centro passaram a encaminhar seus pacientes para a roda de capoeira, determinando o sucesso da iniciativa. “Em uma aula temos mais de 30 praticantes, se levarmos em consideração os pais e acompanhantes e, também, os pacientes que sobem para matar a curiosidade e terminam praticando”, conta.

De acordo com Childerico, a capoeira vem trazendo inúmeros benefícios aos seus praticantes no Ceir, como o estímulo à socialização, ganho de autoestima e independência, agilidade, força muscular e coordenação motora. “Isso pode ser facilmente observado nos primeiros momentos de terapia, já que, logo em seguida, o paciente entende que existe um mundo de possibilidades a serem trabalhadas (música, palma, criatividade, ritmo, dentre outras)”, enumera. Como o beneficiário do Ceir também frequenta outras terapias dentro do instituto, as melhoras trazidas pela capoeira se refletem, também, nas outras vertentes de tratamento.

Entre os casos de sucesso, Childerico destaca a história de Raimundo Pessoa, vítima de um acidente de moto que lhe acarretou sequelas motoras, de fala e de visão. “Com o inicio do tratamento no Ceir, ele foi, paulatinamente, elencando conquistas e independência. Na capoeira, mostrou superação e determinação. Ele não perde nenhuma terapia e é um dos nossos pacientes mais empolgados”, relata.

Hoje, o grupo tem uma agenda com aproximadamente 30 apresentações por ano, já promoveu três batizados e trocas de corda, além de várias palestras e cursos sobre a modalidade. “O sonho que nós compartilhamos é fazer com que, de alguma forma, o nosso grupo possa participar das Paralimpíadas do Brasil, mostrando a capoeira como arte, expressão da cultura nacional e, também, uma forma de reabilitação e superação física”, revela o profissional.



Piauí define delegação que vai representar o Estado nas Paralimpíadas Escolares 2012



Na manhã desta segunda-feira (06) uma comitiva da Fundação dos Esportes do Piauí (Fundespi) esteve reunida com o secretário estadual para Inclusão das Pessoas com Deficiência (Seid), Helder Jacobina, para definir a delegação que vai representar o Piauí nas Paralimpíadas Escolares 2012, que serão realizadas entre 14 e 21 de outubro na cidade de São Paulo. A participação do Piauí nesta competição nacional está sendo garantida pelo Governo do Estado, por meio da parceria entre a Fundespi, a Seduc e a Seid.


O secretário Helder Jacobina destacou o compromisso do Governo do Estado do Piauí na inclusão das pessoas com deficiência também nos esportes. “Recentemente fizemos a entrega de 10 cadeiras de rodas adaptadas para o Basquete e agora estamos garantindo a participação desses jovens atletas nessa importante competição”, destacou.    

Em 2011 o Piauí participou pela primeira vez de uma edição de Paralimpíadas Escolares, levando seis atletas para a competição que participaram das modalidades de atletismo, natação e tênis de mesa, ganhando 01 medalha de prata na natação. Em 2012 o governador Wilson Martins determinou que a delegação piauiense fosse composta por mais atletas e a equipe terá 19 pessoas, sendo 12 atletas e 07 membros da comissão técnica. Os paratletas piauienses vão competir em quatro modalidades: atletismo, natação, tênis de mesa e bocha. 

De acordo com o treinador de natação do Centro Integrado de Reabilitação (CEIR), Childerico Robson, a natação terá quatro atletas na competição, dois deles com chances de ganhar medalha. “Os atletas são selecionados a partir do trabalho de reabilitação realizado pelo CEIR, lá nós identificamos os atletas que se destacam e indicamos a possibilidade de eles treinarem para competir, mas essa é uma decisão dos próprios atletas e das famílias”, destaca. Os atletas da natação vão competir nas provas de 50 metros livre, 50 metros costas e 50 metros borboleta. 

As Paralimpíadas Escolares são consideradas o maior evento para atletas com deficiência em fase estudantil no mundo, e este ano contará com público estimado em 1200 pessoas, entre alunos, dirigentes, técnicos e coordenadores de diversas regiões do Brasil. O evento têm por finalidade estimular a participação dos estudantes com deficiência física, visual e intelectual em atividades esportivas de todas as escolas do Brasil.


Ao todo dez modalidades esportivas  compõem o programa dos jogos: atletismo, natação, futebol de 5, futebol de 7, goalball, tênis de mesa, bocha, judô, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

CEIR em destaque

   Matéria sobre o jogo da inlcusão, com participação da nossa equipe de Futebol para
Amputados.

 Para ver a matéria clique aqui:  Futebol para Amputados

FONTE: portaldaclube.com

Jogo da Inclusão: gols na garantia de direitos das pessoas com deficiência



 11/05/2012 por Glenda Uchôa

  Nenhuma deficiência, seja ela física ou intelectual, se sobrepôs à superação de cada atleta que esteve presente na noite de quinta-feira (10), no Ginásio Verdão, para participar do Jogo da Inclusão. O ex-craque e atual deputado federal, Romário (PSB-RJ), esteve presente no evento e participou de forma efetiva de cada jogo da noite, inclusive com a atuação no time de futebol para amputados do Ceir (Centro Integrado de Reabilitação).



  O time do Ceir participou da penúltima partida da noite, ganhando de 3 a 0 da equipe formada por autoridades do Estado. Antes, times da APAE e da Associação dos Cegos do Piauí (ACEP) empolgaram os presentes. De muletas, Romário jogou no time de amputados e, com a excelência de um craque, ainda arriscou dribles e passes com os paratletas.



  O destaque do time do Ceir foi o jogador José Wanderson, que fez dois, dos três gols da partida. O atleta foi o mais marcado em campo pelo time rival, composto por autoridades, a exemplo do senador Welligton Dias (PT).



  A equipe do Ceir é formada pelos atletas Elilson Pereira, Feliciano Mendes, Ismael de Sousa, Francisco Soares, Jose Nilton, José Wanderson, Antonio Soares, Wilame Pinheiro e pelo treinador e terapeuta, Childerico Robson.
  O jogo da inclusão é uma realização da Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid) e envolveu dez equipes formadas por pessoas com deficiência física, auditiva, visual e intelectual, além de políticos e demais autoridades do Estado, como o senador Welligton Dias (PT), o deputado federal Assis carvalho (PT) e o secretário da Seid, Helder Jacobina.



  Helder ressaltou a importância do evento para fomentar a inclusão e acessibilidade no Piauí. “O Jogo da Inclusão é mais uma forma de mostrar a importância de fomentar atividades e ações que sejam voltadas à inclusão e acessibilidade das pessoas com deficiência do nosso Estado. O paradesporto merece destaque dentro dessa estrutura”, esclarece.
  O deputado Romário, que tem grande atuação na área da inclusão social, destacou as ações de políticas públicas como sendo imprescindíveis para o setor de atendimento e garantia dos direitos das pessoas com deficiência. “Os gestores entenderam e enxergaram a importância de atuar para assegurar os direitos das pessoas com deficiência, creio que estamos no caminho certo”.
  O paciente do Ceir e chará do ex-craque, Romário da Silva, que tem paralisia cerebral, realizou seu grande sonho de conhecer o ‘Baixinho Romário’, como é carinhosamente conhecido.



  Entre gols, passes e dribles, os paratletas e demais jogadores comemoravam não só o bom desempenho em campo, mas, também, as conquistas de uma vida em que a saúde e integridade da pessoa com deficiência é cada vez mais reconhecida pela sociedade.


FONTE: www.ceir.org.br

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Atletas amputados do Ceir participam do Jogo da Inclusão

10/05/2012 por Glenda Uchôa
 
O time de futebol para amputados do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) irá participar do ‘Jogo da Inclusão’, que acontece nesta quinta-feira (10), às 19horas no Ginásio Verdão, com a presença do deputado federal Romário (PSB-RJ). O evento terá cinco partidas, envolvendo dez equipes formadas por pessoas com deficiência física, auditiva, visual e intelectual.



Elilson Pereira, Feliciano Mendes, Ismael de Sousa, Francisco Soares, Jose Nilton, José Wanderson, Antonio Soares e Wilame Pinheiro são os componentes da equipe do Ceir. Eles treinam todas as semanas no Centro e, através da reabilitação física e da própria superação, já passaram do status de pacientes para o nível de paratletas.
O reabilitador físico e também treinador do time, Childerico Robson, explica que a participação no Jogo da Inclusão só reforça a coesão da equipe e dá maior incentivo aos paratletlas. “Vai ser mais uma oportunidade de mostrar o desempenho conquistado pela equipe ao longo de tantos treinamentos. Todos estão empolgados e preparados para o evento”, afirma.

Os atletas do Ceir já acumulam experiência com a participação na última Paraolimpíada desenvolvida no Estado. O próximo desafio é o Campeonato Brasileiro de Futebol para Amputados, que acontece em julho, na cidade de Maringá – PR.
E desafio não é problema na vida dos atletas. Elilson Pereira perdeu a perna esquerda em um acidente de trânsito e, através do esporte, descobriu que poderia acreditar na sua reabilitação. “Jogava como goleiro antes do acidente, nunca imaginei que voltaria a jogar futebol. Aqui no Ceir descobri que existia o esporte e, desde então, pratico. Tenho apoio incondicional da minha mulher e filho”, explica.
Toda arrecadação do evento será revertida a instituições que cuidam de pessoas com deficiência.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Paratletas do Ceir conquistam 10 medalhas no Circuito Caixa em Natal

30/04/2012 por Robson Costa e Glenda Uchôa

Os paratletas do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) disputaram, neste final de semana, a etapa Norte/Nordeste do Circuito Caixa Paraolímpico de Atletismo, Natação e Halterofilismo 2012, em Natal - RN. Os cinco atletas piauienses que participaram da competição garantiram 10 medalhas, sendo uma de ouro, sete de prata e duas de bronze.


A delegação piauiense composta por Ana Kássia, Lidia Raquel, Aldemício Rodrigues, Naiara Maria e Liana Brito, além de representar o Estado na competição, conseguiu, segundo o reabilitador físico Childerico Robson, colocar o Piauí entre as melhores delegações paraolímpicas. “Os índices alcançados colocaram o Piauí em boas colocações no ranking. Agora vamos nos preparar para as disputas nacionais” informa.
O Circuito Caixa etapa Norte-Nordeste de Natal reuniu 350 competidores de 10 estados brasileiros. Os atletas com melhores índices garantiram classificação para a etapa nacional do circuito, que acontece no decorrer do ano.

SUPERAÇÃO E RESULTADOS

Cada atleta do Ceir possui sua própria história de superação. Liana Brito, por exemplo, sempre fez da natação uma forma de tratamento, mas foi no Centro que a jovem aliou a terapia de reabilitação com a capacidade de ser uma atleta competitiva. Ela tem paralisia cerebral e o apoio da família e amigos aumentou o gosto pela atividade. “A competição foi boa e eu me sinto muito bem nadando”, comenta Liana.


A mãe da jovem, Clarissa Brito, confirma que o esporte ocupa um espaço decisivo no tratamento da filha. “Liana ganhou mais autonomia, autoestima e independência com a natação. Toda a família fica feliz e orgulhosa por poder acompanhar o crescimento e acompanhar os resultados que ela conquista”, disse.
Assim como Liana, os demais atletas também são acompanhados pelos olhos atentos e torcedores da família, amigos e profissionais do Ceir. Naiara Maria, uma das atletas classificadas para a disputa nacional, comemora o desempenho e confirma que a água é um dos lugares que a deixa plenamente feliz.



Os paratletas conseguiram bons resultados nas disputas de 50m livres, 100m livre, 200m livre, 100m nado peito, 150m medley e 50m costas. O superintendente administrativo do Ceir, Edson Arruda, confirma que a instituição apóia plenamente os atletas do Centro. “É uma alegria e satisfação ver o excelente desempenho da equipe na competição, sempre apoiaremos atividades como essas, que colaboram e fomentam a superação dos pacientes”, disse, lembrando que a competição não é objetivo maior do Ceir. "O Ceir tem como meta principal a reabilitação das pessoas com deficiência, mas, estamos vendo que a participação em competições tem contribuido e muito no processo de reabilitação. Por isso incentivamos e damos todo o apoio possível", complementa Edson Arruda.
O Ceir completa 4 anos de fundação no próximo dia 5 de maio e já se tornou referência nacional em reabilitação de pessoas com deficiência física e/ou motora. Nesse período já foram realizados mais de 280 mil atendimentos. O Centro é fruto de uma parceria entre o Governo do Estado e o Governo Federal, mas é administrado pela Associação Reabilitar, uma instituição social sem fins lucrativos.



MEDALHAS
Naiara Maria - ouro na disputa de 100 metros peito e três medalhas de prata nas competições de 50 metros costas, 150 metros medley e 50m livre.
Ana Kássia - prata nos 50 metros livre; prata nos 100 metros costas e bronze nos 100 metros livres.
Liana Brito - prata na modalidade 200 metros livres.
Lidia Raquel - duas pratas nos estilos 100 metros costas e 50 metros livres.

FONTE: www.ceir.org.br

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Time de Amputados do CEIR participara do Jogo da Inclusão

Foto:

Reunião na Seid discutiu pontos da organização do jogo

10/04/2012 - 12:20

Governo acelera preparativos do Jogo da Inclusão


Os preparativos para realização do Jogo da Inclusão, com a presença do ex-jogador e deputado federal Romário, estão em ritmo acelerado. Neste sentido, o secretário para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Hélder Jacobina, e o presidente da Fundação Estadual de Esportes (Fundespi), Marcos Aurélio Sampaio, se reuniram, na manhã desta terça-feira (10), com representantes das entidades de defesa dos direitos da pessoa com deficiência.



O Jogo da Inclusão vai acontecer no próximo dia 10 de maio, no Ginásio Verdão, a partir das 18 horas, e já movimenta o Governo do Estado, através de órgãos, como a Secretaria para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid), a Fundespi, a Coordenadoria de Comunicação Social (CCom) e a Coordenadoria Estadual da Juventude (Cojuv). O encontro da manhã desta terça-feira (10) aconteceu no gabinete do secretário para Inclusão da Pessoa com Deficiência.

Segundo Hélder Jacobina, a reunião teve o objetivo de definir aspectos do Jogo da Inclusão relacionados à divulgação, infraestrutura, público, renda, etc. Ficou acertado, entre outros pontos, que a renda do Jogo da Inclusão será destinada em benefício das entidades que compõem o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conede), que ficará encarregado de gerir os recursos arrecadados com o evento.

Conta bancária

O secretário acrescenta que será criada uma conta bancária específica, onde será depositada a totalidade da renda gerada pelo evento. Esta conta especial será administrada pelo Conede, que representa essas entidades. Outro ponto acertado disse respeito ao número de expectadores do Jogo da Inclusão – sete mil pagantes –, que terá ingressos vendidos a R$ 5,00. Os organizadores do evento também acertaram que Romário ajudará na divulgação do evento.

O deputado será convidado a gravar, em Brasília (DF), um vídeo promocional para divulgar o Jogo da Inclusão. Romário também participará do evento disputando várias partidas. Serão cinco disputas envolvendo 10 equipes, inclusive times de amputados e deficientes visuais. Outras personalidades também confirmaram presença no evento. É o caso do deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, mais conhecido como palhaço Tiririca.

“Será uma grande festa – a Festa da Inclusão”, prevê Hélder Jacobina, sobre a importância do Jogo da Inclusão. “O governador Wilson Martins está entusiasmado com a oportunidade de trazer Romário e tantos outros convidados ilustres, em nome de uma causa social importante, que se refere à afirmação dos direitos da pessoa com deficiência em nosso Piauí’, declarou o secretário. “É um evento que trará mais visibilidade a esta luta tão nobre.”

Entidades representadas

Além do Conede, foram representadas na reunião preparatória do Jogo da Inclusão entidades, como a Apae Piauí, a Associação dos Cegos do Piauí (Acep) e a Associação dos Deficientes Físicos de Teresina (Adeft). O Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) foi igualmente representado no encontro, que contou ainda com a participação do publicitário Vinícius Melo, da Eclética Comunicação, responsável pela concepção das peças de divulgação do Jogo da Inclusão.
obs: Na ocasião representei o CEIR nesta reunião.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Capoeira em destaque

Em primeira mão


       Capoeira do CEIR é destaque em site especializado, trata-se do Portal da Capoeira (http://portalcapoeira.com/) na coluna Capoeira sem Fronteiras. Visite e comente a matéria!!

       Nossos garotos estão de PARABÉNS !!!
      

por Childerico Robson
Formado (Grupo IÊ Berimbau)

segunda-feira, 5 de março de 2012

Paraatletas do Ceir são promessas da natação piauiense

Calouros e veteranos preparam-se para as competições paraolímpicas de 2012

Jéssica Santos

Joelson Oliveira - Paratleta - Ceir (Foto:Regis Falcão)
      Das sessões de reabilitações nas piscinas do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) têm surgido grandes promessas do esporte piauiense. Dentre eles, os nadadores Joelson Oliveira, 24 anos, e Ana Kássia, 14 anos, que foram além da fisioterapia e preparam-se para competições paraolímpicas.
Joelson Oliveira é uma das promessas do Ceir para o Circuito Caixa, que acontecerá no próximo mês em Natal (RN). Esta será a primeira competição do jovem nadador da cidade de Beneditinos, que duas vezes por semana vem treinar em Teresina.
      Sem movimentação nas pernas devido uma lesão medular causada por um acidente de trabalho, Joelson nada a largas braçadas e vem demonstrado muita habilidade na piscina. Para Childerico Robson, educador físico do Centro, a expectativa em torno de Joelson se dá principalmente por sua determinação. “Ele chegou um pouco receoso, mas logo demonstrou habilidades na natação. Quase dois anos depois, Joelson tem ótimos desempenhos no nado crawl, costas e peito, além de ser muito determinado. Estamos confiantes para este Circuito”, disse.
       Para o atleta, o maior desafio será controlar o emocional e manter o foco na competição. “É minha primeira competição e estou um pouco ansioso, mas estou treinando para obter bons resultados e espero trazer medalhas para o Piauí”, confessa Joelson Oliveira.
   Gabriela Luz, educadora física do Ceir e a paratleta Ana Kássia(Foto: Wilton Lopes)
   Para Ana Kássia Marcelino, que teve a perna amputada após ser atropelada na calçada de casa, esta é uma oportunidade de trazer mais medalhas para o Piauí. Medalhista de prata nos Jogos Escolares Paraolímpicos 2011 e de ouro na I Paraolimpíadas do Piauí, a nadadora espera alcançar bons resultados. “Estou treinando para melhorar meu tempo e conquistar mais medalhas”, enfatiza Ana Kássia.
    Gabriela Luz, educadora física que acompanha Ana Kássia, fala das características da atleta e reforça a expectativa de bons resultados. “Ela é uma atleta de velocidade. Nos últimos Jogos Escolares Paraolímpicos ela fez 50m em 55 segundos na modalidade nado costas. Por bons resultados como esse que estamos treinando e preparando-a para alcançar mais vitórias nas próximas competições”.
II Paraolimpíadas do Piauí
     A segunda edição das Paraolimpíadas do Piauí está sendo bastante esperada pela equipe do Ceir. “Estamos nos preparando para ir ainda mais competitivos a II Paraolimpíadas do Piauí. Queremos fortalecer este evento e incentivar que outras competições como essa surjam e dê condições aos nossos atletas de mostrarem seus talentos”, declara Childerico Robson, educador físico do Ceir.
     Ainda sem data confirmada, a Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid) já articula o evento que este ano deve abranger todo o Piauí. “Nossa intenção é envolver os paraatletas de todo o Estado. Estamos articulando com a Seduc a possibilidade das Paraolimpíadas acontecerem junto com os Jogos Escolares e assim promover uma integração entre atletas e paraatletas”, revela Edson Araújo, assessor técnico de projetos da Seid.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Ceir abre roda de capoeira de pessoas com deficiência

30/01/2012 por Cristal Sá

Com os olhos fixos no capoeirista, Fabiano dos Santos, de 11 anos, sonha em reproduzir a ginga do mestre. Ele, que nasceu com paralisia cerebral, comemora os avanços conquistados desde que passou a participar das aulas no Centro Integrado de Reabilitação (CEIR). “Eu gosto muito de jogar capoeira. Só perco quando tenho prova”, garante.

Fabiano foi um dos que trocou a corda verde pela corda amarela na manhã deste domingo (29), em batizado realizado pelo CEIR no Ginásio Poliesportivo Edmilson Jorge, do bairro Dirceu. A cor representa mais um passo no aprendizado e na quebra dos limites impostos pela deficiência.



A dona de casa Nirinalva Mendes da Silva trouxe a família toda para assistir à apresentação do filho, Lyedson Matheus, de 4 anos. Sem esconder o orgulho, ela revela que o filho “melhorou muito desde que começou a fazer capoeira no CEIR. Antes, ele não segurava o pescoço e não tinha equilíbrio nenhum. Agora rola e dobra as pernas”. A conquista é motivo de emoção ainda maior quando a mãe lembra que o obstetra não acreditava na sobrevivência do menino após a constatação da doença no parto.





Para o educador físico do CEIR, Childerico Robson, o trabalho desenvolvido com as crianças é fruto de grande satisfação pessoal. “Me sinto realizado em saber que contribuí nem que seja um pouquinho para a melhoria de vida desses meninos e meninas”, frisou. Hoje, ele trabalha a capoeira como instrumento de reabilitação para 16 crianças que recebem tratamento no Centro.

A atividade deste domingo foi mais uma das iniciativas da instituição no sentido de integrar as pessoas com deficiência. Por esta razão, foi realizada junto com o batizado de capoeiristas do grupo Iê Berimbau, que trabalha com a reinserção social de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade da zona sudeste de Teresina.


Para a mãe do Gabriel, Eliane Ferreira, valeu a pena pegar uma carona de onde moram, na Vila do Avião, para ir ao Dirceu ver o filho provar que uma pessoa com deficiência pode jogar capoeira. “Em apenas 5 meses de treinamento ele já melhorou bastante. Antes caía muito e se machucava. Os médicos dizem que ele tem distrofia muscular. Hoje, ele quase não cai mais. É muito bom ver esse progresso”, pontuou.

Fonte: http://www.ceir.org.br

domingo, 29 de janeiro de 2012

Capoeira em Destaque !!!

Pessoas com deficiência participam de roda de capoeira

domingo, 29 de janeiro de 2012 • 17:17
Com os olhos fixos no capoeirista, Fabiano dos Santos, de 11 anos, sonha em reproduzir a ginga do mestre. Ele, que nasceu com paralisia cerebral, comemora os avanços conquistados desde que passou a participar das aulas no Centro Integrado de Reabilitação (CEIR). “Eu gosto muito de jogar capoeira. Só perco quando tenho prova”, garante.



Fabiano foi um dos que trocou a corda verde pela corda amarela na manhã deste domingo (29), em batizado realizado pelo CEIR no Ginásio Poliesportivo Edmilson Jorge, do bairro Dirceu. A cor representa mais um passo no aprendizado e na quebra dos limites impostos pela deficiência.

A dona de casa Nirinalva Mendes da Silva trouxe a família toda para assistir à apresentação do filho, Lyedson Matheus, de 4 anos. Sem esconder o orgulho, ela revela que o filho “melhorou muito desde que começou a fazer capoeira no CEIR. Antes, ele não segurava o pescoço e não tinha equilíbrio nenhum. Agora rola e dobra as pernas”. A conquista é motivo de emoção ainda maior quando a mãe lembra que o obstetra não acreditava na sobrevivência do menino após a constatação da doença no parto.

Para o educador físico do CEIR, Childerico Robson, o trabalho desenvolvido com as crianças é fruto de grande satisfação pessoal. “Me sinto realizado em saber que contribuí nem que seja um pouquinho para a melhoria de vida desses meninos e meninas”, frisou. Hoje, ele trabalha a capoeira como instrumento de reabilitação para 16 crianças que recebem tratamento no Centro.

A atividade deste domingo foi mais uma das iniciativas da instituição no sentido de integrar as pessoas com deficiência. Por esta razão, foi realizada junto com o batizado de capoeiristas do grupo Iê Berimbau, que trabalha com a reinserção social de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade da zona sudeste de Teresina.

Para a mãe do Gabriel, Eliane Ferreira, valeu a pena pegar uma carona de onde moram, na Vila do Avião, para ir ao Dirceu ver o filho provar que uma pessoa com deficiência pode jogar capoeira. “Em apenas 5 meses de treinamento ele já melhorou bastante. Antes caía muito e se machucava. Os médicos dizem que ele tem distrofia muscular. Hoje, ele quase não cai mais. É muito bom ver esse progresso”, pontuou.


Fotos: Cristal Sá