sábado, 19 de janeiro de 2013

Equipe do Bioanálise visita CEIR para firmar parceria com a instituição

19-01-2013 09:30:00

Equipe do Bioanálise visita CEIR para firmar parceria com a instituição  Na manhã de sexta-feira (18), o empresário do Laboratório Bionálise, Sylvio Romano, visitou a estrutura do Centro Integrado de Reabilitação, o CEIR. O coordenador da Reabilitação Desportiva do CEIR, Childerico Robson, acompanhou a equipe e mostrou todas as áreas de reabilitação do Centro. Em seguida, fez breve apresentação de uma palestra que demonstrou os avanços alcançados pelos pacientes por meio das atividades desenvolvidas.
   O projeto de Reabilitação Desportiva por meio da capoeira iniciou com cerca de 3 alunos e hoje já atende a demanda de 30 pacientes. Crianças, jovens e adultos com alguma deficiência e que encontram ali, uma forma de adquirir coordenação motora, equilíbrio, força muscular, ritmo, sociabilização e, acima de tudo, companheirismo.
  Sylvio Romano, após conhecer a instituição, dirigiu-se à quadra de esportes, para assistir uma apresentação do grupo de capoeira do Centro. Emocionado, lembrou-se do dia em que viu pela primeira vez a apresentação dos pacientes no Complexo Cultural da Ponte Estaiada. Dali, surgiu a vontade de realizar ações de responsabilidade social em parceria com o Centro Integrado de Reabilitação, onde o Bioanálise acredita na reintegração social de crianças que utilizam o esporte como alternativa para superar desafios e vencer a deficiência.
  Sylvio, que já foi aluno de Childerico, ficou impressionado com a organização e com o calor humano do CEIR. Encantado, pretende firmar parcerias para desenvolver projetos socioambientais entre sua empresa e a instituição.
  Childerico ainda expôs que além de ajudar os pacientes do CEIR, o projeto de capoeira inclui, também, os pais e acompanhantes das pessoas com deficiência.
  A roda e os ensaios de capoeira acontecem na quadra da própria sede e funciona como terapia, a única da instituição que inclui um grupo, com número sugestivo de pessoas ao mesmo tempo. “O objetivo do projeto é trabalhar com atividades terapêuticas e de vida”, finaliza o coordenador.
 
O projeto
 
  O projeto de capoeira que trabalha a reabilitação e inclusão de crianças com necessidades especiais envolve sensibilidade e afetividade. Através da terapia, crianças com deficiência física usam o esporte para superar limites. Na roda de capoeira, os pacientes desenvolvem o equilíbrio e a coordenação. Mas um dos principais elementos ajustados com a atividade é a motivação.
  Além de ajudar no tratamento, o objetivo da reabilitação com a capoeira é quebrar preconceitos. O coordenador do setor de reabilitação desportiva, Childerico Robson, afirma que a sociedade deve aprender com as crianças a aceitar as diferenças. “As diferenças devem servir para aproximar, ao invés de separar as pessoas. A capoeira trabalha como ferramenta de inclusão social e arma de cidadania e reabilitação”, frisa Childerico Robson.
 
A parceria
 
  A parceria será um apoio financeiro ao projeto de capoeira para manutenção do mesmo. A ação não condiz com caridade, nem doação, e sim o cumprimento de uma responsabilidade social. O objetivo desta parceria é investir em projetos que estimulem a reintegração social dos cidadãos, principalmente as crianças. A empresa acredita no potencial destes projetos e por isso faz questão de ajudá-los.
 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Empresário conhece o funcionamento do Ceir e pode apoiar o desenvolvimento de projetos

 
 
18/01/2013 por Diego Rodrigues
 
   O empresário Silvio Romano e sua equipe, do laboratório Bioanálise, conheceram a estrutura do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) nesta sexta-feira (18). O coordenador da Reabilitação desportiva do Ceir, Childerico Robson, mostrou todas as áreas de reabilitação aos visitantes e proferiu uma palestra sobre as conquistas obtidas pelos pacientes do Centro.
  Após a palestra, a equipe do Bioanálise dirigiu-se à quadra de esportes, onde acompanharam uma apresentação de capoeira. Silvio Romano lembrou do dia em que conheceu um dos trabalhos desenvolvidos pelo Ceir, que o motivou a buscar parcerias como forma de ajudar a instituição.
  “Agradeço por ter visto a apresentação de capoeira no Complexo Cultural da Ponte Estaiada. Foi a partir daí que conheci o belo trabalho realizado pelo Ceir”, afirma Silvio.
  O empresário manifestou interesse em apoiar projetos socioambientais do Centro.