segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Profissionais do setor de Reabilitação Desportiva do Ceir participam de curso na AACD

Os terapeutas do setor de Reabilitação Desportiva do Ceir (Centro Integrado de Reabilitação) participaram do I Curso de Atividade Física Aquática como Recurso Motivacional Terapêutico da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) em São Paulo.
A equipe de Reabilitação Desportiva do Ceir é composta por Gabriella Alves, Lanna Isabelly, Childerico Robson e Slania Bastos. Os profissionais participaram de treinamentos, conheceram o setor de reabilitação desportiva da AACD e puderam trocar experiências com os profissionais da instituição.
“Durante os dois dias nós pudemos comprovar que o nosso setor segue a filosofia de trabalho da AACD, semelhantes na forma de atendimento e estrutura do setor, apesar de o ultimo contato com este setor ter sido em 2006, durante nosso treinamento”, disse o reabilitador desportivo Childerico Robson.
O Ceir e a AACD tem uma ligação muito próxima. Pelo menos uma vez por ano o Centro recebe a visita de profissionais da AACD,exceto a reabilitação desportiva, arte e musicoterapia, para trocar experiências com os profissionais do Centro a fim de compartilhar a atualização da atuação profissional e garantir o melhor atendimento aos pacientes.

Apresentação da equipe de capoeira da AACD
O curso contou com explanações sobre a importância da integração entre fisioterapeutas e educadores físicos no processo de reabilitação, também com análise da indicação de esporte adaptado para as diferentes categorias desportivas e outros.

FONTE: http://www.ceir.org.br/

terça-feira, 18 de outubro de 2011

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Ceir, Seid e Fundespi efetivam parceria para incentivar esporte paraolímpico

O presidente da Fundação dos Esportes do Piauí (Fundespi), Marcos Aurélio Sampaio, esteve no Centro Integrado de Reabilitação – Ceir, na manhã desta quarta-feira (5), para conhecer as instalações do Centro e discutir propostas que efetivem e fomentem o esporte paraolímpico no estado.
Na visita esteve presente o secretário da SEID, Helder Jacobina, o presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Teresina, Alexandre Almeida, o coordenador da Fundespi, César Gabriel, o educador físico do Ceir, Childerico Robson, o superintendente executivo do Ceir, Francisco Alencar e o superintendente administrativo do Ceir, Edson Arruda.
O Ceir trabalha com a reabilitação física de pessoas com deficiência. Durante as sessões de reabilitação desportiva, muitos atletas já foram ‘descobertos’, já que o setor de RD além de ser voltado ao tratamento e reinserção do deficiente na sociedade, também efetua a orientação e estimulo ao paciente, visando inserir aqueles com melhor desempenho esportivo em atividades competitivas.
Durante a manhã os visitantes prestigiaram uma partida do futebol de amputados, uma das modalidades praticadas pelos pacientes do Ceir.
A parceria entre o Ceir, Seid e Fundespi inicialmente se concentrará na realização de uma capacitação voltada as pessoas com deficiência física que tem interesse pelo voleibol sentado, modalidade criada em 2007.
O secretário Helder Jacobina explanou que o incentivo para a área de esporte paraolímpico deve ser constante e que a capacitação só reforçará essa proposta.

Futebol para amputados e Grupo de Capoeira do Ceir fazem apresentação no I Congresso Internacional das APAEs

A equipe de futebol de amputado e o grupo de capoeira do Ceir (Centro Integrado de Reabilitação) fizeram uma apresentação na manhã desta sexta-feira (30) no Congresso Internacional das APAEs e Instituições Congêneres, realizado no Atlantic City, zona Sudeste de Teresina. O evento teve abertura na última quarta-feira (28) e discute temas como inclusão social da pessoa com deficiência e políticas públicas voltadas a área.

As duas modalidades esportivas são compostas por pacientes que fazem reabilitação no Centro e descobriram, durante as sessões de reabilitação física, habilidades com os esportes. Além de contribuir no tratamento motor, o futebol de amputados também contribui para melhorar a auto-estima dos atletas.
src=/ckfinder/userfiles/images/IMG_2671.jpg

O time, coordenado pelo educador físico do Ceir, Childerico Robson, jogou uma partida de apresentação para os participantes do Congresso. Na ocasião, outras atividades esportivas também aconteciam, como o basquete com os times das APAEs de Teresina e Parnaiba, badminton e futsal.
src=/ckfinder/userfiles/images/IMG_2681.jpg

Carlos Roberto, que faz parte da Federação Piauiense de Esporte da Pessoa com Deficiência do Piauí, explica que o espaço onde acontecem os jogos, foi planejado para ser uma área de recreação e também para oportunizar a promoção dos esportes para deficientes.


No congresso estão sendo contemplados vários eixos temáticos como família, políticas públicas de inclusão social, direitos e garantias, acessibilidade, saúde, sexualidade e esportes. Pelo menos 430 pessoas diretamente ligadas às Apaes participaram do evento.

FONTE: www.ceir.org.br

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Paraolimpiada Escolar, mas um sonho realizado

Acabamos de realizar mais um sonho no setor de reabilitação despotiva do Ceir, trata-se da nossa paticipação nas Paraolimpíadas Escolares, realizadas no período de 26 a 31 de agosto na cidade de São Paulo. Bom, o resultado foi melhor do que o esperado, pois sempre buscamos o algo mais que o processo de reabilitação atraves do esporte pode promover, ficado em segudo plano o resultado atraves de medalhas, mas nossa atleta Ana Kássia resolveu ir um pouco além e se sagrou vice campeã brasileira paraescolar na prova dos 50m nado Costas

Childerico Robson e Ana Kássi (premiação dos 50m costas)

No decorrer do evento tive a oportunidade de participar das clinicas de natação e voleibol sentado oferecidas pelo CPB (Comitê Paraolimpico Brasileiro). Aproveitando o evento, pude apresentar a delegação do Piauí a um de nossos maiores incentivadores e amigo, Sr. Jose Afonso da Costa (Presidente do Conselho Fiscal da CPB)

 José Afonso, Cesar Gabriel e Childerico Robson



Essa conquista é o resultado da parceira entre o CEIR (centro integrado de reabilitação),o SEID (secretaria estadual para inclusão da pessoa com deficiencia) e a Unidade Escolar Professora Júlia Nunes Alves, na pessoa do Sr. Tarcizio Pires Soares (Diretor da escola)

Valeu parceiros essa conquista também é de vocês.

Brasileiro de futebol para amputados adiado.

Infelizmente nossa viagem para o campeonto brasileiro de futebol para amputados vai ter que aguardar um pouco mais, isso por que o evento foi cancelado e ainda não se tem ao certo a nova data, bom nosso time continua em pleno treinamento aguardando ansiosamente a nova data.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Time de futebol para amputados do Ceir reforça treino para campeonato brasileiro

O time de futebol para amputados do Ceir está empenhado a fazer bonito em sua primeira competição oficial. Trata-se do Campeonato Brasileiro de Futebol para Amputados, que acontecerá na cidade de Mogi das Cruzes-SP, no período de 17 a 21 de agosto. Os 10 jogadores treinam todas as manhãs das terças e quintas, no campo cedido do Reis da Bola, na zona Leste.

Leonardo Pereira, de 26 anos, é uma dos jogadores mais jovens do grupo, no entanto, já possui experiência em competições nacionais. “Fui atleta do time de basquete para cadeirantes de Teresina e participei de competições com times do Norte e Nordeste do país. Agora, jogando futebol, me sinto mais seguro e pronto para levar o nome do Ceir e do Piauí para todo o Brasil”, diz, empolgado.

/

O técnico do time de futebol para amputados do Ceir, Childerico Robson, explica que o campeonato de futebol realizado em Mogi das Cruzes será na modalidade society e deve consolidar o trabalho realizado no Ceir que alia esporte à reabilitação dos pacientes.

“Através do esporte, demonstramos aos nossos pacientes que a vida pode seguir normalmente. Aqui, além da reabilitação física, trabalhamos os benefícios da prática esportiva para o corpo e para a mente, melhorando a auto-estima dos atletas”, frisa o educador físico.


/

O convite para a participação do time piauiense no evento foi realizado pela ABDDF (Associação Brasileira de Desportos para Deficientes Físicos).  Os atletas do time têm vínculo com o Ceir, ou por terem executado tratamento no Centro ou por terem sido beneficiados pelos serviços da oficina ortopédica.

/

terça-feira, 19 de julho de 2011

Time de futebol para amputados do Ceir competirá em Campeonato Brasileiro

O time de futebol para amputados do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) irá competir no Campeonato Brasileiro de Futebol para Amputados, que acontecerá na cidade de Mogi das Cruzes-SP, no período de 17 a 21 de agosto. O time foi formado durante as sessões de reabilitação desportiva do Ceir e é comporto por 10 atletas que descobriram a habilidade com o esporte durante o tratamento de reabilitação física.  



Todos os atletas do time são amputados de alguma das pernas, e de alguma forma, tem vínculo com a instituição, ou por terem executado tratamento no Centro ou por terem sido beneficiados pelos serviços da oficina ortopédica.

O educador físico e treinador do time, Childerico Robson, explica que “tratar através do esporte é o principal objetivo da reabilitação física. Durante o tratamento terapêutico alguns pacientes se mostraram habilidosos com a atividade, e também apresentaram interesse para a formação de equipes competitivas”, explica.

O convite para a participação do time piauiense no evento foi realizado através da ABDF (Associação Brasileira de Desportos para Deficientes Físicos). 

Os atletas iniciarão os treinos nesta terça-feira (19), a partir das 10:30h da manhã, no campo society do espaço cedido do Reis da Bola. Muita expectativa e trabalho estão previsto para os próximos dias. A superação dos atletas é uma verdadeira aula não só de habilidade, como também uma lição vida.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Atletas paraolímpicos recebem premiação

A premiação da 1ª Paraolimpíada aconteceu na manhã desta segunda-feira (20) no auditório do CEIR – Centro Integrado de Reabilitação. Atletas, técnicos e representantes de entidades foram agraciados com medalhas, troféus e placas de homenagem pela participação na competição.
/
Auditório do Ceir na premiação da primeira paraolimpíada estadual

O secretário da Secretária Estadual para inclusão da Pessoa com Deficiência, Hélder Jacobina, disse que o momento é de festa, pois estava se dando continuidade a premiação simbólica que foi realizada depois da Caminhada da Acessibilidade, que aconteceu no sábado dia 11 de junho.“Queremos fazer da Paraolimpíada um evento permanente do calendário de competições esportivas do estado do Piauí”, ressaltou Hélder Jacobina.
/
Secretário Helder Jaconiba e Elielson (atleta do futebol para amputados)
O secretário também agradeceu as entidades que promovem a inclusão das pessoas com deficiência por meio da educação e do esporte. “Gostaríamos de homenagear a todos neste momento, mas em especifico a uma pessoa, a professora Marta Girão que elaborou o projeto da paraolimpíada”. A professora recebeu um troféu de agradecimento das mãos do secretário.
 
Edson Arruda, superintendente administrativo do Ceir, parabenizou todos os atletas pelo exemplo de vida e pela grande participação na primeira paraolimpíada do estado, além de afirmar que o Ceir apóia e incentiva a realização do evento. O professor Childerico Robson também foi ressaltado na fala do superintendente, que parabenizou a atuação do profissional e o incentivo feito com os pacientes/atletas atendidos pelo Centro.
/
Ceir é homenageado pela participação no evento
Cerca de quinze atletas do Ceir competiram na paraolimpíada nas modalidades de natação e futebol para amputados. “Fiquei muito feliz em participar e me sinto muito bem nadando”, disse Naiara Maria, que ganhou duas medalhas de prata na competição. Outro atleta muito premiado foi Denilson da Silva da APAE.  Ele participou de competições como atletismo, natação, basquete, futsal.  Tendo um ótimo desempenho. Na natação
 A Paraolimpíada segundo seus coordenadores conseguiu atingir os seus objetivos, promover a inclusão das pessoas com deficiência pelo esporte em todo o estado.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Amputados dão 'show de bola' na Paraolimpíada

Gladiadores e Guerreiros disputaram uma partida de futebol para amputados,ontem, na quadra poliesportiva do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), valendo pela estréia na Paraolimpíada Estadual do Piauí. O equilíbrio entre ambos resultou em um empate em 1 a 1.


Elilson Pereira, atleta do time ‘Gladiadores’, é um exemplo de superação. Ele perdeu a perna esquerda em um acidente de trânsito e, através do esporte, descobriu acreditouna sua reabilitação. “Jogava como goleiro antes do acidente, nunca imaginei que voltaria a jogar futebol. Aqui no Ceir descobri que existia o esporte e desde então pratico.


Tenho apoio incondicional daminha mulher e filho”, explica. O esporte quer angariarmais adeptos. O educador físico Childerico Robson diz que“a intenção é multiplicar o esportee fazer com que as pessoas busquem o Ceir para serem integradas no processode reabilitação”.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Paraolimpíadas: futebol de amputados terá disputa inédita nesta terça (07) no Ceir

A primeira Paraolimpíada do Estado do Piauí está a todo vapor. E nesta terça-feira (07), será a vez da modalidade futebol de amputados ser o centro das atenções da competição. Dois times formados por pacientes do Ceir (Centro Integrado de Reabilitação) competirão e disputarão medalhas da Paraolimpíada Estadual, às 10h20, na quadra poliesportiva do Ceir. Será a primeira competição desses atletas, num jogo bonito de assistir, onde a palavra de ordem será superação.
 
A prática de futebol de amputados começou a ser praticada como uma necessidade da própria reabilitação desenvolvida no Centro Integrado. E o que começou tímido, com a presença de um ou outro atleta desconfiado, hoje é um grande sucesso.  

O educador físico do Ceir, Childerico Robson, explica que, além de favorecer a reabilitação física do paciente, o futebol de amputados mostra para os próprios jogadores que mesmo com necessidades especiais, praticar qualquer tipo de esporte é sempre viável.

 “Não é porque as pessoas possuem só um membro inferior, por exemplo, que não podem praticar atividades como o futebol, que dão prazer e recompensas físicas. Quem for assistir vai ver um espetáculo bonito e envolvendo”, diz Childerico, complementando que a meta do Ceir é a reabilitação – a participação de alguns atletas em competições surgiu naturalmente a partir do empenho e da vontade demonstrada por eles próprios.

Como a inclusão social é uma das metas do Ceir, o Centro dá todo o apoio possível para a participação dos seus pacientes-atletas, na certeza de que, a conquista mais importante sempre é a própria superação.

Conquistas na Natação
 
No último sábado (4), o destaque ficou para os atletas paraolímpicos que disputaram as provas de natação. No total, oito atletas do Ceir (Centro Integrado de Reabilitação) nadaram na competição que contou com a participação de deficientes físicos, visuais e auditivos de todo o estado.
 
Francisco da Chagas, 10 anos, há mais de um ano faz tratamento do Ceir e nunca havia competido nenhuma prova olímpica. O garoto surpreendeu na atuação, conquistando o segundo lugar em uma das provas de nado crawl.
 
“Meu filho foi um ídolo. Eu não parei de vibrar, gritar e aplaudir enquanto ele estava nadando, fiquei muito feliz por vê-lo nadar daquela forma e saber a felicidade que ele sentiu”, conta empolgada a mãe de Francisco, Solange da Silva.
 
Todos os atletas que competiram na natação serão premiados pelo ótimo desempenho conquistado na modalidade. “Os nossos atletas treinaram em uma piscina de 10 metros e competiram em uma de 25 metros. Foi surpreendente e uma grande alegria vê o resultado de todos que competiram, se esforçaram e além de tudo, se superaram. Todos os profissionais e pacientes da reabilitação física do Ceir estão de parabéns” diz o educador físico, Childerico Robson.

Ele destaca que a prática de atividade física e/ou esportiva por pessoas com deficiência pode proporcionar ao atleta testar seus limites e potencialidades, além de prevenir as enfermidades secundárias à sua deficiência e promover a integração social do indivíduo.

  Fonte: Robson Costa e Glenda Uchôa - site do CEIR

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Projeto ‘Conhecendo os Esportes’ apresenta duas modalidades no Ceir

Possibilitar que os pacientes atendidos pelo Ceir (Centro Integrado de Reabilitação) conheçam e pratiquem novas formas de atividades físicas. Esse é o intuito do projeto ‘Conhecendo os Esportes’, idealizado pela equipe de reabilitação física do Ceir, que na manhã da última sexta-feira (27), apresentou duas novas modalidades a todos da instituição: levantamento de peso e tiro esportivo.

Sob orientação do presidente do Clube de Tiro Olímpico do Piauí, Manoel Benício, e do educador físico, Jose Costa, pacientes e colaboradores do Centro conheceram e posteriormente participaram das duas atividades apresentadas pelos profissionais: levantamento de peso e tiro esportivo.


/
Professores orientam a paciente Francisca no levantamento de peso

No levantamento de peso, pacientes das mais diferentes idades e diagnósticos revezaram-se no aparelho, todos orientados pelos professores. Os profissionais direcionavam o peso adequado para cada paciente, e em poucos minutos, o esporte angariou muitos admiradores.

/

No caso da prática do tiro esportivo, por exemplo, Manuel Benício destaca que “esse esporte estimula a habilidade do reflexo, equilíbrio e capacidade de diferenciação dos praticantes” e acrescenta que pode ser praticado por qualquer pessoa.


/
Professor José Costa e Manoel Benício com o paciente Domingos

O equipamento necessário para desenvolver o esporte foi apresentado no local como a carabina (uma arma de fogo mais curta que a espingarda utilizada no tiro desportivo) e os equipamentos de proteção individual (EPI) como óculos e protetor auricular. Não houve demonstração da atividade já que o ambiente não era adequado para tal modalidade. O tiro esportivo ou olímpico tem que ser praticado em local apropriado e seguro.

Fonte: Glenda Uchôa site Ceir

Atleta do Ceir se prepara para competir na 1º Paraolimpiada Estadual

Ela se prepara, toma fôlego, mergulha e começa a nadar. É isto que Lidia Raquel, de 24 anos, executa todos os dias no Ceir (Centro Integrado de Reabilitação), durante as sessões de reabilitação física do Centro. A jovem participará da 1º Paraolimpíada Estadual do Piauí, e descobriu na natação uma atividade de reabilitação e prazer.

A competição visa valorizar o potencial das pessoas com deficiência, acontecerá nos dias 30 de maio a 10 de junho, e contará com o total de 11 modalidades esportivas: Futsal, Futebol (Futebol de Sino), Natação, Atletismo, Badminton, Basquete (Basquete em Cadeira de Roda), Vôlei de Quadra, Vôlei de Areia, Handball, Tênis de Mesa e Tiro Esportivo.

É na natação que a história de Lidia Raquel se cruza com a do evento. Ela nasceu com Ataxia, doença que causa falta de coordenação dos movimentos podendo afetar a força muscular e o equilíbrio, e foi praticando a natação que descobriu formas de lidar com o diagnóstico. “Sempre nadei, antes era por lazer e aqui no Ceir descobri que tinha habilidade. Gosto muito da natação e apesar de ser a primeira vez que entro em uma competição, nem estou tão nervosa” conta.

/
Lidia Raquel na piscina do Ceir


 A reabilitadora física do Ceir, Slania Bastos, que acompanha Lidia no tratamento, explica o trabalho realizado no setor. “A reabilitação física é utilizada para oportunizar que o paciente conheça os esportes e que se identifique. Na prática dessas atividades físicas, buscamos auxiliar as outras terapias, como ajudar o paciente ter força para as sessões de fisioterapia, ou trabalhar a respiração para contribuir na fonoaudiologia e assim por diante”, disse.

Slania acrescenta que no caso de Lidia o tratamento mostrou que ela possuía habilidade para o esporte aquático e por isso foi instigada a competir na Paraolimpíada.

Viviane Almeida, mãe da garota, conta com felicidade que a filha a cada dia progride no tratamento e a sua participação na competição legitima tudo isso. “A Lidia tinha poucos amigos, tinha dificuldades em se comunicar e o tratamento desenvolvido aqui no Ceir ajudou muito minha filha. Ela está muito empolgada com a competição e tem meu total apoio”, confessa dona Viviane.


/
Lidia é apenas uma entre os 10 atletas do Ceir que competirão na modalidade aquática durante a 1º Parolimpiada Estadual. A certeza que paira no ambiente é que independente da conquista de medalhas ou não, a vitória para esses atletas já é uma realidade diária.

Fonte: Glenda Uchôa site Ceir

Basquete para cadeirantes atrai pessoas para o CEIR

O jogo é semelhante ao praticado nas ruas e nas quadras espalhadas em Teresina. O basquete para cadeirantes tem atraído pessoas ao Centro Integrado de Reabilitação (Ceir). São três anos de modalidade, uma atividade física completa que mexe com os músculos e com a cabeça de quem pratica.

/
        Basquete no Ceir. (foto: Paulo Barros)

O mais novo integrante do time, Joelson Pessoa, diz que o basquete é uma modalidade que exige muito do atleta. “Tem que ter muita força de vontade como em qualquer esporte praticado, mas é muito legal e exercita bastante os músculos, recomendo para todos os cadeirantes”.


A experiente Maria Fernanda Silva fala da importância do esporte na vida dela, desde que se dedicou ao basquete sua motivação mudou. “Sei das vantagens que o basquete trouxe para mim, me deu ânimo e me mostrou que não existem barreiras para quem quer realizar os seus objetivos”.


O educador físico e preparador técnico das modalidades esportivas do Ceir, Childerico Robson, explica que a procura pelo esporte tem melhorado no Centro, mas a procura pelas modalidades como o Basquete pode melhorar ainda. “Temos toda a estrutura e o material adequado para trabalhar o esporte com os cadeirantes piauienses, a procura poderia ser maior ainda, a pessoa com deficiência tem que entender que o esporte pode mudar a vida dela”.


Os interessados devem comparecer ao Ceir e fazer uma avaliação. No Centro ele passará por uma triagem onde deve manifestar o interesse pela modalidade preferida. “Além de trabalhar com a qualidade de vida das pessoas com deficiência queremos descobrir novos atletas, aprender é o mais fácil, só é preciso interesse e vontade de conquistar novos desafios”, finaliza Robson.

Fonte:  Josué Nogueira da Ccom

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Futebol de amputados é destaque no programa Talentos do Piauí

No próximo sábado (30) o programa Talentos do Piauí (TV Cidade Verde) exibirá matéria especial sobre o futebol de amputados realizado no Ceir. A gravação aconteceu na manhã desta terça-feira (26), confira algumas fotos do Making Off da matéria!











Vamos prestigiar o trabalho galera? O programa vai ao ar sábado à tarde, confiram!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

quarta-feira, 6 de abril de 2011

A descoberta de um potencial dentro da reabilitação desportiva

A matéria 'Um recomeço nas piscinas' saiu na edição deste domingo (3) no jornal O Dia. A história completa do Aldemício também já foi contada aqui no blog, para conferir clique AQUI!

Apresentação de capoeira foi a atração do Terça às 6

Dando continuidade ao projeto Terça às 6, no dia 5 de abril, a partir das 18h na praça de alimentação da FACID aconteceu uma apresentação de capoeira que tem a coordenação do Prof. Childerico Robson.

Na ocasião, professores, funcionários e alunos foram convidados a participarem da roda de capoeira.