segunda-feira, 29 de junho de 2015

Galego participa de quadrilha náutica com pacientes do Ceir


FONTE: cidadeverde.com


Ceir realiza 1ª Quadrilha Junina Aquática

26/06/2015 por Cláudia Alves


A animação do São João chegou às águas das piscinas do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) na manhã desta quinta (25). O Setor de Reabilitação Desportiva do Centro realizou a 1ª Quadrilha Junina Aquática do Ceir.

https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif
https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif

https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif
“Sempre reforço que no Ceir, não reabilitamos pessoas, reabilitamos vidas. Aqui, as limitações físico-motoras de nossos pacientes não são empecilhos para eles participarem, por exemplo, de uma quadrilha junina”, destaca o coordenador de Reabilitação Desportiva da instituição, Childerico Robson.
Pensando nisso, Childerico, juntamente com toda a equipe do Setor, proporcionou uma manhã de muito forró pé de serra para pacientes e colaboradores. Detalhe: dentro de uma das piscinas do Ceir.

Íntima das águas, a para-atleta Naiara Linhares conta a experiência. “Nunca imaginei participar de uma quadrilha junina dentro de uma piscina. Foi um momento que vou lembrar para sempre e espero poder repetir novamente”, finaliza.


FONTE: www.ceir.org.br

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Pacientes do CEIR recebem kits de higiene bucal

Pacientes do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) tiveram mais um motivo para sorrir nesta sexta-feira (19). Isso porque uma das empresas parceiras do Setro de Reabilitação Desportiva do Ceir, a Nutrydiet - Suplementos Alimentares, doou 50 kits de higiene bucal para o Setor de Odontologia do Centro.

A pequena Lara Rosa, de % anos de idade, foia primeira paciente a ganhar o kit e não escondeu a empolgação. Para o coordenador da Reabilitação Desportiva do Ceir, Childerico Robson, a iniciativa é um exemplo para outras empresas.

"Ficamos muito felizes em poder proporcionar momentos como esse. Um kit simbólico de higiene bucal pode ser algo simples para uma pessoa, mas para alguns de nossos pacientes é algo muito especial", finaliza. 




Pacientes do Ceir desfilam em passarela inclusiva


“Ela adora desenhar vestidos. Quando soube que ia desfilar, ficou maravilhada. Uma emoção para ela e para mim também”, conta Jani Ieda, mãe da Maria Gabriele, de 13 anos.

Gabriele é paciente do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) há 5 anos. Juntamente com os pacientes Victor Emanuel, Nayara Beatriz, Osíris Rocha e Luís Davi, ela participou de um desfile inclusivo, na noite dessa quarta-feira (17), no IV Forma Design, em Teresina.  

As crianças desfilaram uma coleção inspirada no filme Up – Altas Aventuras. “Pensamos em fazer algo que transmitisse a alegria, a liberdade e a diversão, em harmonia com a faixa etária e com o gosto pessoal das crianças”, explica a idealizadora da coleção, Brenda Pinheiro, estudante de Design.

Segundo Childerico Robson, reabilitador desportivo do Ceir, levar essas crianças para uma passarela é uma forma de mostrar que elas podem ir para qualquer lugar que quiserem. 

“Sempre digo que no Ceir não reabilitamos pessoas, reabilitamos vidas. Quando aceitei o convite de levá-las para uma passarela, não hesitei. Pensei em mostrar para essas crianças mais um mundo, que parece ser tão distante delas, mas que só necessita de um elo, como esse desfile”, comenta.

Luís Davi, de 15 anos, não esconde a emoção: “Achei o convite inesperado. Mas gostei muito de participar”. Joelma Lustosa, mãe do Victor Emanuel, completa: “Momentos como esse são essenciais para o desenvolvimento dessas crianças. Já que elas estão tendo interação com outras crianças, com outro ambiente”.



Agradeço ao meu amigo Dr Rafael Levi, que possamos realizar muitas outras parcerias em prol do Paradesporto do Piauí.


FONTE: Matéria retirada da Revista Avante

terça-feira, 16 de junho de 2015

Paciente com doença muscular usa esporte para ser mãe: "Combustível"

Na natação, Samara Lima se apaixona por atividade física para ganhar força nos membros e ninar herdeiro. Piauiense festeja evolução: “Com dificuldade, mas consigo”

Por  
Teresina


Esta não é uma história sobre atletas. Tampouco multicampeões dos gramados, quadras e afins. O roteiro da vida de Samara Lima é digno de enredo de filme. Daqueles de encher os olhos de lágrimas e o coração de esperança. Grávida de sete meses do primeiro filho, ela encontrou na atividade física o ponto de equilíbrio para guiar o momento mais delicado da maternidade. A hidroginástica virou trampolim para a mamãe superar uma doença neuromuscular progressiva que diminui a força dos músculos do seu corpo, adquirida quando ela ainda nem tinha vindo ao mundo. Os dribles diários dados na doença com ajuda da inspiração trazida do esporte ganhou um pano de fundo surpreendente: o chá de bebê promovido pelas colegas de terapia há poucos dias fez nascer um largo sorriso no rosto e a encheu de motivação para a chegada de Samuel. Link para o vídeo aqui.
- Essas terapias são como combustível para o meu corpo. Meu problema é degenerativo e só piora com o tempo. Não tem medicamento (que cure). As terapias melhoram o meu movimento e retardam a aceleração da doença. Graças a esse tratamento, eu consigo me movimentar. Com dificuldade, mas consigo. Faço tudo sozinha. Eu não esperava que as meninas fizessem o chá de bebê. Não tenho nem palavras. Nem sabia que eu ia chamar tanta atenção das pessoas aqui – confessa sorridente após o susto.
Samara CEIR (Foto: Renan Morais/GloboEsporte.com)Samara é surpreendida com chá de bebê após terapia (Foto: Renan Morais/GloboEsporte.com)
 
Paciente há meses do Centro Integrado de Reabilitação em Teresina, Samara se acostumou a viver rodeada de desafios – não apenas os impostos pelas educadoras físicas nas piscinas. Casada com um deficiente visual, a mamãe de primeira viagem ganha força muscular dia após dia por conta das atividades físicas. A amizade mais íntima com a cadeira de rodas – e que pôs o andador de canto por alguns dias – tem dado maior segurança com possíveis quedas em pleno sétimo mês de gestação.
- Meu marido é minhas pernas, e eu sou os olhos dele. No início, foi muito complicado aceitar a ideia de sermos pai e mãe, mas hoje o Samuel é bem amado. É claro que vamos encontrar dificuldades, mas estamos dispostos a enfrentar. Eu guio meu marido, ele me ajuda treinando bem para segurar o bebê. Desistir? Jamais! – enfatiza.
Samara CEIR (Foto: Renan Morais/GloboEsporte.com)Samara fez da cadeira de rodas e da piscina suas melhores amigas na gestação (Foto: Renan Morais/GloboEsporte.com)
 
As seções de exercícios passadas pela equipe médica foram diminuídas por conta da gravidez, sobretudo com cargas de atividades feitas sobre tatames e bicicletas. O uso do esporte para garantir a saúde do bebê é defendido pelos envolvidos diretamente no plano materno da família.
- Samara é uma paciente muito presente e faz hidroginástica duas vezes por semana. O exercício tem ajudado bastante ela porque tem fortalecido a musculatura dos membros superiores e inferiores. Sempre alerto: tu tem que ter força para segurar o teu bebê, e usamos cargas dosadas para isso. Ela faz exercícios de condicionamento físico, deslocamento e exercícios focados.  A gente não intensifica por causa do estado atual dela – explica a educadora física Slânia Bastos.

FONTE: globoesporte.globo.com/pi/noticia

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Setor de Reabilitação Desportiva participa de evento na Faculdade Santo Agostinho

Na tarde de hoje, participamos do Seminário Integrador de Bacharelado em Educação Física da Faculdade Santo Agostinho.
Na oportunidade, o coordenador do Setor de Reabilitação Desportiva do Ceir, Childerico Robson, explicou sobre o tratamento de reabilitação desenvolvido pelo Setor.
O evento contou com a participação mais do que especial da nossa roda de capoeira. Ao som do berimbau, demos uma aula de superação de limites e determinação.
Obrigado pelo convite e carinho, adoramos participar do momento.
 
FONTE: www.facebook.com/CeirPiaui